Notícia | Caminhoneiro: uma profissão que exige muita raça!

Ter uma carga de milhares (talvez milhões) de reais e um veículo de grande porte aos seus cuidados não é tarefa fácil. E isso fica pior quando existe uma rodovia em péssimo estado de conservação entre a origem e o destino do frete. A segunda matéria desta série de reportagens trata do péssimo estado de conservação das rodovias brasileiras.

 

Má conservação

De um pneu que estoura e dá um prejuízo gigantesco no bolso deste profissional à falta de sinalização que confunde e pode ocasionar um acidente fatal, o descaso com a infraestrutura de transporte terrestre é flagrante. No último levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgado em novembro do ano passado, 61,8% das estradas de todo o país tiveram seu estado de conservação classificado como regular, ruim ou péssimo – um aumento de 3,6 pontos percentuais em relação a 2016.

Esta queda de qualidade se deve à perda da capacidade de investimento tanto do governo federal quanto de boa parte dos estaduais – todos com sérias dificuldades fiscais. Das dez piores rodovias desta pesquisa da CNT, todas elas estão em regiões estratégicas para o escoamento da safra de grãos do Cerrado e parte Sul da Amazônia (Norte, Nordeste e Centro-Oeste) ou de proteína animal (Sul). Confira abaixo o ranking dos dez trechos rodoviários com pior estado de conservação: