noticia2.jpg

Sociedade adere à campanha da PRF de auxílio a caminhoneiros


Gabriel Sabara Krüger

date_range02 / Junho / 2020

Cristãos de diversas denominações, representantes de entidades da sociedade civil e voluntários em geral de todo o Brasil abraçaram a causa do “Siga Bem Caminhoneiro”. Trata-se de programa lançado recentemente pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) que visa oferecer condições dignas para os profissionais da estrada continuarem trabalhando durante a pandemia de Covid-19. Os donativos arrecadados – lanches, frutas, água, sucos, kits de higiene e refeições completas (quentinhas) – estão sendo distribuídos pelos policiais rodoviários em várias rodovias federais no sistema drive-thru, sem ser necessário o desembarque do caminhoneiro e evitando a formação de aglomerações. Conforme se vê no slogan da campanha, todas as pessoas envolvidas reconhecem o trabalho desta categoria que será fundamental para a distribuição de remédios e equipamentos médico-hospitalares necessários no combate ao novo coronavírus. Interessados em colaborar com esta iniciativa podem levar os produtos que desejam doar até o posto da PRF mais próximo. Mais de 1.000 voluntários (três em cada centro de apoio) devidamente uniformizados estão de prontidão para receber esses donativos, higienizando-os para que cheguem às mãos dos caminhoneiros sem colocá-los sob risco de contágio. Uma iniciativa exemplar de apoio aos caminhoneiros de amor ao Brasil! Mapeamento Além de coordenar esta ação voluntária, a PRF realizou o mapeamento de estabelecimentos que continuam atendendo normalmente durante este período de isolamento social. São mais de 6 mil pontos de apoio entre restaurantes, postos de combustível, borracharia, oficina mecânica, hospedagem e loja de conveniência que podem ser consultados pelo site https://suportebr.prf.gov.br/. Assim, os caminhoneiros podem saber com exatidão onde encontrar os serviços que vier a precisar, uma preocupação a menos para estes profissionais que, além de todos os desafios que já enfrentam, estão tendo dificuldades para encontrar abertos estabelecimentos fundamentais para suas atividades.